FMI exige mais austeridade à Grécia, novamente

26 de Abril por Esquerda.net

Com as declarações de Poul Thomsen, o FMI assume as exigências de Schäuble relativamente à Grécia e abre a porta à participação do Fundo num terceiro empréstimo até julho.

Em fevereiro, o Fundo Monetário Internacional publicou um relatório onde declarava publicamente que a dívida grega era «insustentável» e «explosiva», declarando impossível que a Grécia cumprisse o excedente primário de 3,5% em 2018, uma exigência da Zona Euro Zona euro Zona composta por 18 países que utilizam o euro como moeda: Alemanha, Áustria, Bélgica, Chipre, Espanha, Estónia, Finlândia, França, Grécia, Irlanda, Itália, Letónia (a partir da 1-01-2014), Luxemburgo, Malta, Países Baixos, Portugal, Eslováquia e Eslovénia. Os 10 países membros da União Europeia que não participam na zona euro são: Bulgária, Croácia, Dinamarca, Hungria, Lituânia, Polónia, República Checa, Roménia, Reino Unido e Suécia. com Schauble à cabeça.

E alertavam que, se a Alemanha não abrisse a porta à reestruturação da dívida grega, não participaria num terceiro resgate à Grécia que, com pagamentos de dívida em julho, terá de receber uma nova infusão de fundos para cumprir o serviço da dívida.

O impasse mantém-se mas, agora, Poul Thomsen dá um passo em frente, assumindo a exigência alemã de mais medidas de austeridade e a possibilidade de participar num terceiro empréstimo se a Alemanha assumir a reestruturação da dívida e a redução das metas de excedente primário de 3,5% para 1,9% em 2018.

Há meses que Dijsselbloem e Schäuble rasgaram o acordo com a Grécia definido no empréstimo de 2015, acusando a Grécia de aumentar as pensões e exigindo novas medidas de austeridade como compensação. Desde então, as negociações e avaliações mensais congelaram e estão num impasse, apesar do país apresentar um déficit primário (antes do serviço da dívida) gigantesco de 3,9% do PIB PIB
Produto interno bruto
O produto interno bruto é um agregado económico que mede a produção total num determinado território, calculado pela soma dos valores acrescentados. Esta fórmula de medida é notoriamente incompleta; não leva em conta, por exemplo, todas as actividades que não são objecto de trocas mercantis. O PIB contabiliza tanto a produção de bens como a de serviços. Chama-se crescimento económico à variação do PIB entre dois períodos.
em 2016.

Com pagamentos avultados do serviço de dívida agendados para julho, a Grécia não tem neste momento qualquer margem de manobra para rejeitar as exigências da troika Troika A Troika é uma expressão de apodo popular que designa a Comissão Europeia, o Banco Central Europeu e o Fundo Monetário Internacional. .

Para o Fundo Monetário Internacional, a dívida do país é objetivamente impagável, o que exige uma reestruturação para níveis sustentáveis. Contudo, não só recusam a hipótese de essa reestruturação incluir a dívida grega detida pelo próprio FMI como reafirmaram, este fim-de-semana, a exigência de novas «reformas estruturais», ou seja, novas medidas de austeridade.


Fuente: Esquerda.net


CADTM

COMITE PARA A ABOLIÇAO DAS DIVIDAS ILEGITIMAS

35 rue Fabry
4000 - Liège- Belgique

00324 226 62 85
info@cadtm.org

cadtm.org