Um apelo urgente por justiça econômica, climática e justiça da dívida

10 de Outubro por CADTM International , Collectif


Comunidades de todo o mundo estão lutando e resistindo aos impactos de várias crises. Em um momento de intensificação dos impactos climáticos e aumentos especulativos dos preços dos alimentos e da energia, os governos, especialmente no Sul Global, estão respondendo a dívidas públicas insustentáveis e à falta de desenvolvimento e financiamento climático com uma onda crescente de austeridade, subjugação e extrativismo.



Denunciamos veementemente o papel do Banco Mundial (BM) e do Fundo Monetário Internacional (FMI) que, juntamente com outros credores públicos e privados, perpetuam uma arquitetura financeira internacional falha que exacerba as crises econômica, climática e de dívida, violando as necessidades básicas e os direitos de milhões de pessoas e da natureza, que têm a menor contribuição, responsabilidade ou controle sobre essas catástrofes. Essas instituições, juntamente com os governos do G7 e outros do Norte global que as controlam, devem ser responsabilizadas pelo seu papel histórico em promover agressivamente empréstimos até mesmo para regimes corruptos e repressivos e impor condicionalidades prejudiciais que mantêm os países do Sul Global dependentes da dívida e mal desenvolvidos.

Apesar de afirmarem promover o desenvolvimento global e a estabilidade financeira, essas instituições e governos continuam a fomentar suas receitas fracassadas. Em vez de promover soluções justas, equitativas e duradouras, elas possibilitam um ciclo interminável de sofrimento que gera enorme riqueza para uma minoria global e empurra cada vez mais pessoas para a pobreza. Em vez de cumprir suas obrigações Obrigações Parte de um empréstimo emitido por uma sociedade ou uma coletividade pública. O detentor da obrigação, ou obrigacionista, tem direito a um juro* e ao reembolso do montante subscrito. Obrigações também podem serem negociadas no mercado secundário. de financiamento do clima e do desenvolvimento, estão respondendo às crescentes necessidades de financiamento aprofundando o «Consenso de Wall Street»: favorecendo falsas soluções criadoras de dívidas, baseadas no mercado e privilegiando o setor privado por meio do Banco Mundial, do FMI e dos bancos multilaterais de desenvolvimento e, portanto, promovendo ainda mais a financeirização da economia global.

 Demandamos Justiça da Dívida

O Sul Global carrega o fardo de dívidas insustentáveis e ilegítimas, que minam a soberania, impedem a autodeterminação e aprofundam ainda mais a pobreza, a desigualdade e a perda de controle sobre recursos necessários. As condicionalidades, políticas e práticas de empréstimo endossadas e promovidas pelo BM e pelo FMI facilitaram o acúmulo de dívidas impagáveis e incapacitantes, e impuseram a priorização do pagamento da dívida em detrimento dos direitos humanos e da natureza, do bem-estar social, do desenvolvimento sustentável e da ação climática. O aumento dos pagamentos da dívida e os pacotes de austeridade são usados para impor modelos econômicos desastrosos que drenam recursos preciosos de serviços públicos essenciais e promovem sua privatização, prendendo os países em um ciclo de dependência da dívida que dificulta a erradicação da pobreza e os esforços de desenvolvimento sustentável e perpetua a injustiça sistêmica.

O FMI também se recusou a acabar com as sobretaxas ou penalidades que cobra dos países altamente endividados. O próprio Fundo estima que os países endividados foram cobrados mais de US$4 bilhões em sobretaxas, além dos pagamentos de juros e taxas, desde o início da pandemia até o final de 2022. Entre eles estão Paquistão, Ucrânia, Jordânia, Egito, Gabão, Equador, Argentina, Albânia, Tunísia e Mongólia, entre outros países - todos países de renda média que enfrentam problemas climáticos e de endividamento, mas que foram excluídos até mesmo de reduções mínimas da dívida pelos esquemas de «alívio» da dívida do G20/Clube de Paris.

A ilegitimidade desse ônus da dívida está enraizada nas realidades históricas do colonialismo e da escravidão e nos vários mecanismos que perpetuam e reforçam a desigualdade global. Raramente, se é que alguma vez, essas supostas dívidas beneficiaram os povos em cujo nome, mas sem cuja consulta ou consentimento, elas foram contraídas.

Elas estão manchadas de corrupção, violações dos direitos humanos, destruição ambiental e uma série de outros danos às pessoas e ao planeta. A crise da dívida não foi reconhecida como uma crise sistêmica pelo BM, FMI, governos do G7 e outros credores, pois a inadimplência ainda não representa um risco para os mercados financeiros dos países do Norte Global. No entanto, eles não reconhecem que estamos diante de uma crise sistêmica da dívida em termos de sofrimento humano nos países do Sul Global. A consequência de não abordar a realidade crítica da dominação da dívida de forma justa e abrangente está levando a mais uma década perdida para os direitos e o bem-estar das pessoas e do planeta, além de dificultar as possibilidades de ação climática no Sul global. Ela permite a transferência contínua de recursos financeiros, econômicos, humanos e ambientais do Sul para o Norte e sustenta ainda mais os legados coloniais que se manifestam até hoje nas assimetrias de poder entre o Norte e o Sul.

 Pedimos reparações e restituições em resposta à emergência climática

As consequências devastadoras da crise climática atingem mais duramente as comunidades empobrecidas, mesmo que elas sejam as menos responsáveis pelas emissões globais de gases de efeito estufa. Eventos climáticos extremos, aumento do nível do mar e escassez de recursos exacerbam a pobreza e a fome, deslocam populações e corroem os direitos humanos, criando uma grave ameaça à vida e à sustentabilidade do nosso planeta. Assim como a crise da dívida, a crise climática está enraizada na pilhagem dos recursos do Sul, para a qual exigimos reparações e restituição da enorme dívida climática devida pelo Norte.

Apesar disso, o BM e o FMI, juntamente com os governos do G7 que os lideram e outros credores privados, contribuem ativamente para a perpetuação da emergência climática por meio de seu apoio histórico e contínuo a modelos econômicos que têm demonstrado repetidamente seu fracasso por meio do aumento da dívida financeira, social e ecológica. Isso é particularmente evidente em seu apoio contínuo ao setor de combustíveis fósseis. Ambas as instituições afirmam que estão mais conscientes em relação ao clima e que estão se afastando dos combustíveis fósseis para apoiar a energia renovável, mas isso é desmentido pelos quase US$15 bilhões investidos em projetos de combustíveis fósseis desde o Acordo de Paris de 2015. Ao mesmo tempo, eles estão criando mais facilidades de empréstimo para atender ao setor privado e reduzir o risco de seus investimentos em ações climáticas e de transição energética.

Mais dívida e investimento do setor privado orientado para o lucro Lucro Resultado contabilístico líquido resultante da actividade duma sociedade. O lucro líquido representa o lucro após impostos. O lucro redistribuído é a parte do lucro que é distribuída pelos accionistas (dividendos). não contribuirá para a descarbonização das economias do Norte Global nem cobrirão as necessidades de financiamento climático do Sul Global. Essas estratégias são mais um exemplo do fracasso dos países ricos em fornecer financiamento climático baseado em doações, violando o princípio da UNFCCC de «responsabilidades comuns, porém diferenciadas», que reconhece a responsabilidade do Norte Global pela crise climática. Além disso, sem o cancelamento adequado da dívida, qualquer empréstimo ampliado do FMI e do Banco Mundial, ou do setor privado, corre o risco de ser usado para pagar os credores existentes, uma situação que não apenas deixa de ajudar os países a financiar seus esforços para enfrentar a emergência climática, mas que, na verdade, os mergulha ainda mais na armadilha da dívida.

 Pedimos justiça econômica

O FMI e o Banco Mundial, liderados pelos governos do G7, têm um longo histórico de fazerem empréstimos agressivos e irresponsáveis em prol dos seus próprios interesses econômicos e geopolíticos. Tais empréstimos são feitos sem nenhum escrúpulo em emprestar para regimes que sabidamente violam direitos humanos, contribuem para a corrupção e a busca de benefícios da elite. Eles devem ser responsabilizados por ignorar o mandato primordial dos governos de proteger o interesse público, por não exercerem rigorosamente a devida diligência, incluindo a investigação e o monitoramento dos impactos financeiros, sociais e ambientais de seus projetos.

As duas instituições também promoveram reformas neoliberais que desmantelaram as redes de segurança social, privatizaram serviços essenciais, promoveram impostos regressivos, corroeram as proteções trabalhistas e reduziram o papel regulador e de desenvolvimento do setor público, o que resultou em insegurança econômica generalizada e piorou a desigualdade. As condicionalidades dos empréstimos, que incluiram a privatização da água e de outros serviços essenciais, restringiram o acesso das comunidades de baixa renda e as expuseram a maiores riscos à saúde durante a Covid-19. Essas Instituições Financeiras Internacionais (IFIs) prejudicaram ainda mais as economias e os meios de subsistência no Sul Global, tornando-os vulneráveis aos choques financeiros globais e à volatilidade dos preços das commodities Commodities O termo commodities designa, do ponto de vista da produção, os mercados de matérias-primas (produtos agrícolas, minerais, metais e metais preciosos, petróleo, gás, etc.); do ponto de vista financeiro designa os bens susceptíveis de serem transaccionados no mercado financeiro. .

Apesar do impacto prejudicial dessas políticas, o BM e o FMI continuam a agir com base em sua própria impunidade, promovendo abordagens baseadas no mercado, que priorizam o financiamento privado para enfrentar os retrocessos no desenvolvimento desde o início da pandemia. Essa abordagem exacerba a desigualdade, perpetua as disparidades econômicas e não consegue proporcionar um crescimento econômico inclusivo e sustentável. A arquitetura financeira endossada por essas instituições permite o acúmulo de riqueza por poucos às custas de muitos, perpetuando um sistema que prioriza o lucro acima do bem-estar, minando tentativas de assegurar justiça para pessoas afetadas e para o planeta.

 Nossas demandas urgentes

Demandamos ao FMI e ao Banco Mundial, a todos os governos do Norte e do Sul e aos agentes financeiros privados que atuem agora para garantir a reforma real e urgentemente necessária da arquitectura financeira internacional, juntamente com a realização de soluções sistémicas que incluam a construção de sociedades e economias pós-carbono onde as finanças, a soberania alimentar e energética são uma realidade.

  • Cancelamento imediato e incondicional da dívida externa para todos os países necessitados de todos os credores, começando pelo cancelamento de dívidas ilegítimas, a fim de cumprir a obrigação universal de direitos humanos de criar uma ordem econômica internacional que permita que todos os países lidem com as múltiplas crises e cumpram os direitos de seus povos e do planeta.
  • Cancelamento da dívida externa de países e comunidades de renda baixa e moderada e garantia de que todas as políticas de empréstimo e salvaguardas do FMI e de outras instituições financeiras internacionais deem primazia às obrigações de direitos humanos e proteções ambientais e forneçam mecanismos acessíveis para queixas populares e reparações.
  • Estabelecer estruturas jurídicas internacionais e nacionais para interromper o acúmulo de dívidas insustentáveis e ilegítimas, que ofereçam soluções justas e abrangentes para as crises da dívida e garantam sanções e reparações para os responsáveis pelos crimes e violações dos direitos humanos cometidos por meio do sistema de endividamento perpétuo. Entre outros elementos, isso pode incluir:
  • Uma nova estrutura multilateral de resolução de dívidas sob os auspícios da ONU, em vez de processos dominados por credores, que trate de dívidas insustentáveis e ilegítimas
  • Uma nova abordagem para a sustentabilidade da dívida que tenha as necessidades de financiamento para os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, clima e igualdade de gênero como base fundamental e reconheça a primazia das obrigações de direitos humanos e da natureza.
  • Legislação para tornar obrigatória a participação de credores privados no cancelamento da dívida
  • Legislação para acabar com a ação predatória dos fundos abutres
  • Princípios vinculantes sobre empréstimos e financiamentos responsáveis que ponham fim aos empréstimos que levam à exploração de pessoas e à destruição do meio ambiente
  • Mecanismos e processos genuinamente participativos e inclusivos de transparência e prestação de contas da dívida, incluindo auditorias nacionais da dívida
  • A entrega imediata de financiamento climático, adicional e não gerador de dívidas, para adaptação, mitigação e perdas e danos, muito além da promessa não cumprida de US$100 bilhões/ano, que atenda adequadamente às necessidades do Sul Global.
  • Reconhecimento da existência de uma dívida climática, além de uma dívida histórica, financeira, ecológica e social, que o Norte Global deve ao Sul Global. Esse reconhecimento deve levar a reparações estruturais e financeiras, bem como à restauração ecológica, à eliminação gradual dos subsídios aos combustíveis fósseis, ao fim do extrativismo e à mudança para modos descarbonizados de produção, distribuição e consumo.
  • Democratizar os processos de empréstimos e financiamentos soberanos, garantindo transparência, responsabilidade e representação. Os Estados também devem ser responsabilizados pelas decisões e gastos com a dívida, que muitas vezes acabam beneficiando o setor privado e as corporações em detrimento dos direitos humanos e do bem-estar público e planetário.

AFRICA

African Coalition on Green Growth

Botswana

Centre for Climatology and Applied Research

Botswana

Southern Africa Climate Change Coalition

Botswana

URGENCE CONTRE LA FAIM (UCF)

Chad

Aspafrique-Jics

Côte d’Ivoire

Association de Développement Agricole Educatif et Sanitaire de Manono ADAES

Democratic Republic of Congo

Integrated Social Development Centre

Ghana

Good Health Community Programmes

Kenya

Jamaa Resource Initiatives

Kenya

Plateforme climat et adaptation

Mali

Association Nigerienne des Scouts de l’Environnement (ANSEN)

Niger

Centre for Human Rights and Climate Change Research

Nigeria

Club Changement Climatique Ziguinchor

Senegal

Plateforme nationale des acteurs pour une justice climatique/ Sénégal

Senegal

REACHOUT SALONE

Sierra Leone

groundWork/ Friends of the Earth South Africa

South Africa

Institute for Economic Justice

South Africa

Jeunes Volontaires pour l’environnement

Togo

OJEDD Togo

Togo

WILPF TOGO

Togo

Youth volunteers for Environment

Togo

DISABILITY PEOPLES FORUM UGANDA

Uganda

INITIATIVE FOR SOCIAL AND ECONOMIC RIGHTS (ISER)

Uganda

Kikandwa Environmental Association

Uganda

CAN Zambia

Zambia

Zimbabwe People’s Land Rights Movement

Zimbabwe

ASIA

Bangladesh Nari Progati Sangha (BNPS)

Bangladesh

COAST Foundation (EquityBD)

Bangladesh

Equity and Justice Working Group Bangladesh [EquityBD]

Bangladesh

KOTHOWAIN (vulnerable peoples dev. org)

Bangladesh

National Federation of technical and industrial workers

Bangladesh

NRDS / SDG Action Alliance

Bangladesh

Bangladesh Krishok Federation

Bangladesh

CEHRDF

Bangladesh

Global Tapestry of Alternatives

India

Mines, Mineral & People

India

Praxis

India

Retired Professor/ AEPF

India

Association For Promotion Sustainable Development

India

KRuHA

Indonesia

Save Malaysia Stop Lynas

Malaysia

Third World Network

Malaysia

ALTSEAN-Burma

Myanmar

Stothard

Myanmar

All Nepal Peasants Federation (ANPFa) Nepal

Nepal

All Nepal Women Association

Nepal

ANPFa/TAFJA Nepal

Nepal

Food Sovereignty and Climate Justice Forum/Aid Monitor Alliance

Nepal

Gefont

Nepal

Human Rights Alliance

Nepal

Rural Area Development Programme (RADP)

Nepal

South Asia Alliance for Poverty Eradication (SAAPE)

Nepal

TAFJA NEPAL

Nepal

Digo Bikas Institute

Nepal

Pakaid

Pakistan

Pakistan Fisherfolk Forum

Pakistan

ALMA-QC

Philippines

Bantay Kita - Publish What You Pay Philippines

Philippines

Bukluran ng Manggagawang Pilipino (BMP)

Philippines

Freedom from Debt Coalition

Philippines

K4K QC

Philippines

Koalisyon para sa Karapatan sa Sapat na Pagkain or National Food Coalition

Philippines

MMVA

Philippines

Peoples Development Institute (PDI)

Philippines

Samahan ng Progresibong Kabataan (SPARK)

Philippines

Sanlakas

Philippines

Task Force Detainees of the Philippines

Philippines

University of the Philippines Center for Integrative and Development Studies Program on Alternative Development (UP CIDS AltDev)

Philippines

Climate Watch Thailand

Thailand

EUROPE

11.11.11

Belgium

Argentina

Belgium

Masaryk University Brno

Czech Republic

Adéquations

France

Plateforme Française Dette et Développement

France

CVJM Pfalz - AK weltweit

Germany

erlassjahr.de

Germany

Evang. Kirche im Rheinland

Germany

Global Policy Forum

Germany

World Economy, Ecology & Development - WEED

Germany

Regionalgruppe Attac Aalen

Germany

AbibiNsroma Foundation ANF

Ghana

NKUA

Greece

Financial Justice Ireland

Ireland

Rinascimento Green

Italy

Tripla Difesa Onlus Guardie Sicurezza Sociale de Eco Zoofila

Italy

Debt Justice Norway

Norway

Umanotera, The Slovenian Foundation for Sustainable Development

Slovenia

Red Latina sin fronteras

Spain

Observatori del Deute en la Globalització ODG

Spain

Debt Justice UK

United Kingdom

Fresh Eyes

United Kingdom

Global Justice Now

United Kingdom

Jubilee Scotland

United Kingdom

The Movements Trust

United Kingdom

LAC

Abrazo a la Plaza del Sol

Argentina

Al Borde (construyendo pensamiento indisciplinado) / UNLP

Argentina

AMUMRA - Asociacion civil de derechos Humanos Mujeres Unidas Migrantes y Refugiadas en Argentina

Argentina

Asamblea No a la Entrega de la Costa de Quilmes y Avellaneda

Argentina

Asamblea popular

Argentina

Asamblea por el agua pura y los bienes comunes de Guaymallen

Argentina

Asamblea Socioambiental por el Agua de Guaymallén

Argentina

ATTAC - CADTM Argentina

Argentina

Autoconvocatoria por la Suspensión del Pago e Investigación de la Deuda

Argentina

Basta de falsas soluciones

Argentina

Biblioteca & Museo Claudia Pía Baudracco

Argentina

BIBLIOTECA POPULAR PAJARITA DE PAPEL

Argentina

CADTM - AYNA

Argentina

Carta Abierta Concepcion del Uruguay (E.R)

Argentina

CEMIDA (CENTRO DE MILITARES PARA LA DEMOCRACIA ARGENTINA)

Argentina

Cia. Teatral La Candelaria

Argentina

Cibermilitantes de Cristina y Soberanxs con Cristina

Argentina

CICOP

Argentina

Colectiva Plurinacional Abya Yala

Argentina

CONICET / UNLP

Argentina

Consejo Latinoamericano de Iglesias

Argentina

Coordinadora en defensa de jubilados

Argentina

Corriente Emancipación Sur

Argentina

Corriente Política de Izquierda CPI

Argentina

CPI Jubilados en lucha

Argentina

CTA BAHÍA BLANCA

Argentina

CTAA CAPITAL

Argentina

Diálogo 2000-Jubileo Sur Argentina

Argentina

Docencia provincia Buenos Aires

Argentina

Docente jubilado

Argentina

EAR

Argentina

Economistas de Izquierda EDI

Argentina

ECOSUR, Ecología, Cultura y Educación desde los Pueblos del Sur

Argentina

EMANCIPACIÓN SUR

Argentina

EVA

Argentina

FEDEFAM

Argentina

Fm de la calke

Argentina

FRENTE DE LA RESISTENCIA

Argentina

Frente Ni una menos Olavarría

Argentina

Fundación Equifem

Argentina

Hermanita de Jesús

Argentina

Hnas de la Misericordia de las Américas

Argentina

Independiente

Argentina

Iniciativa Arcoiris de Ecología Política

Argentina

Internacional Progresista

Argentina

jubilado

Argentina

Jubilado Docente

Argentina

Madres de Plaza de Mayo Línea Fundadora

Argentina

Marabunta - Corriente Social y Política

Argentina

Médica

Argentina

Mesa Coordinadora de Jubilados y Pensionados

Argentina

Militante de DDHH

Argentina

Movimiento Feminista

Argentina

Mujeres del.pantanillo

Argentina

MULCS Movimiento por la Unidad Latinoamericana y el Cambio Social

Argentina

ni una menos

Argentina

Nuevos Vientos

Argentina

Observatorio de DDHH

Argentina

OBSERVATORIO DE LA RIQUEZA PADRE ARRUPE

Argentina

Obvservatorio Autónomo de conflictos socioambientales en Argentina

Argentina

Opinion Socialista en la Autoconvocatoria

Argentina

Particular

Argentina

Periódico VAS

Argentina

Pertenezco a la Asamblea del No a la mina de Esquel

Argentina

Pj nacional

Argentina

Project Allende

Argentina

Propuesta Tatu

Argentina

Psicogerontología

Argentina

Religiosa

Argentina

Resumen Latinoamericano

Argentina

Secretaria de DDHH CTA Bahia Blanca

Argentina

Soberanos

Argentina

Soberanos geopolitica

Argentina

SUTEBA

Argentina

UNA

Argentina

Unidad Popular

Argentina

Upami uns

Argentina

UTE..Soberanos con Cristina

Argentina

Vecinos de Irala y adyacencias

Argentina

Caribbean Policy Development Centre

Barbados

Asociacion Coordinadora de la Mujer

Bolivia

Coordinadora de la Mujer

Bolivia

POSGRADO FACSO UMSS

Bolivia

Global Alliance for Tax Justice

Brazil

La Ruta del Clima

Costa Rica

Universidad Andina Simón Bolívar

Ecuador

ENRRFM

Mexico

Maestra jubilada

Mexico

Movimiento de Unidad Socialista

Mexico

ResISSSTE-CNTE Chihuahua

Mexico

Unión Popular Valle Gómez

Mexico

Universidad Autónoma de Ciudad Juárez

Mexico

Universidad Autónoma Metropolitana

Mexico

Deuda x clima

Mexico

Debt for climate Panama/Scientist Rebellion Panama

Panama

Movimiento Panama Vale Mas Sin Mineria

Panama

Sociedad Panameña Salud Pública

Panama

Ya ES YA

Panama

Ninguna

Uruguay

Coalición de Tendencia Clasista (CTC+VZLA)

Venezuela

Universidad de Los Andes

Venezuela

MENA

The General Federation of Workers’ Unions in Iraq/The General Union of Workers in Iraq Electricity

Iraq

Arab youth climate movement- Lebanon

Lebanon

Tunisian Observatory of Economy

Tunisia

NORTH AMERICA

CAN Canada

Canada

Federation of Sisters of St. Joseph of Canada

Canada

KAIROS: Canadian Ecumenical Justice Initiatives

Canada

Justice is Global

United States

JVE

United States

Presente.org

United States

OCEANIA

Australian National University

Australia

Climate Action Network Australia

Australia

Jubilee Australia Research Centre

Australia

REGIONAL/GLOBAL

Asian Peoples’ Movement on Debt and Development (APMDD)

Regional/Global

CADTM International Network

Regional/Global

Congregation of Our Lady of Chairty of the Good Shepherd

Regional/Global

Eurodad (European Network on Debt and Development)

Regional/Global

ESCR-Net

Regional/Global

Global Alliance for Tax Justice

Regional/Global

JUBILEO SUR/AMÉRICAS

Regional/Global

MenaFem Movement for Economic, development and ecological justice

Regional/Global

Natural Justice

Regional/Global

NGO Forum on ADB

Regional/Global

Oil Change International

Regional/Global

Red Latinoamericana por Justicia Económica y Social (LATINDADD)

Regional/Global

Society for International Development (SID)

Regional/Global

WoMin African Alliance

Regional/Global

Emmaus International

Regional/Global

INDIVIDUALS

Adriana Beatriz Haedo

Argentina

Alejandra Dixon

Argentina

Alejandro Albistur

Argentina

Alicia Torre

Argentina

Ana Lelia Calafat

Argentina

Ana Rosa Ambrogi

Argentina

Ana Siufi

Argentina

Anthony Phillips

Argentina

Antonio Daniel Dalmasso

Argentina

Beatriz

Argentina

Beverly

Argentina

Beverly Keene

Argentina

Carlos Aznárez

Argentina

Carmen Alicia Morell

Argentina

Claudia Hasanbegovic

Argentina

Claudia Vanesa Vitancor

Argentina

Claudio Alejandro Giorno

Argentina

Daniel Ozuna

Argentina

Daniela Luz Caivano

Argentina

Dante Patrignani

Argentina

Demián Alejandro García Orfanó

Argentina

Edith Cristina Martinez

Argentina

Eduardo

Argentina

Eduardo Naranjo Elgue

Argentina

Eduardo René Aibar

Argentina

Elisa Malizzia

Argentina

Elsa María Bruzzone

Argentina

Enrique Gandolfo

Argentina

Estela Nelida Rosso

Argentina

Ester Agunin

Argentina

Fernanda Negrin

Argentina

Gerardo Roberto Martinez

Argentina

Graciela Ester Beascoechea

Argentina

Graciela Ramona Gonzalez

Argentina

Guillermo Robledo

Argentina

Hugo Antonio Blasco

Argentina

Jorge Luis Sorda

Argentina

Jose Luis

Argentina

Juan Carlos Maceiras

Argentina

Liliana Ines Romero

Argentina

Liliana Orfilia Marzano

Argentina

Mabel Bellucci

Argentina

Manuel Jeronimo Espejo Revol

Argentina

Marcela Hebe Arceo

Argentina

Marcia Rodríguez Otegui

Argentina

María Adela Antokoletz

Argentina

Maria Del Carmen Darriba

Argentina

María Elena Saludas

Argentina

Maria Liliana Debenedetti

Argentina

María Marta Aversa

Argentina

Maria Rodas

Argentina

María Sara Melo

Argentina

Maria Silvia Scorza

Argentina

Mariana Mondini

Argentina

Mariano Féliz

Argentina

Mario Gonnet

Argentina

Marta Sahores

Argentina

Marta Silvia Poggiese

Argentina

Mercedes Centena

Argentina

Miguel Ángel Feola

Argentina

Miguel Barnichea

Argentina

Monica Carmen Castro

Argentina

Monica Colaianni

Argentina

Monica Raquel Oliver

Argentina

Natalia Cantelmi

Argentina

Natividad Obeso

Argentina

Necqa

Argentina

Nina Isabel Brugo Marcó

Argentina

Noemí Naón

Argentina

Nora Cortiñas

Argentina

Norberto H Pereyra

Argentina

Osvaldo Antionio Lopez

Argentina

Pablo Bergel

Argentina

Pablo Goodbar

Argentina

Pablo Justiniano

Argentina

Pablo Martin

Argentina

Pablo Sessano

Argentina

Pamela Mackey

Argentina

Ricardo María García

Argentina

Rosa Araya

Argentina

Silvia Adriana Ferrara

Argentina

Silvia Baffigi

Argentina

Silvia Benchimol

Argentina

Silvia María Hernández

Argentina

Silvia Romero

Argentina

Sonia Tobal

Argentina

Susana Garbiero

Argentina

Susana Lucia Pannocchia

Argentina

Susana Moreira

Argentina

Teresa Malalan

Argentina

Tomás Arguello

Argentina

Verónica Zoppis

Argentina

Victoria Corte

Argentina

Victoria Mariani

Argentina

Vivian Palmbaum

Argentina

Viviana Pinto

Argentina

Elise Klein

Australia

Glen Klatovsky

Australia

Luke Fletcher

Australia

Aminul Hoque

Bangladesh

Gabriel Tripura

Bangladesh

Md. Ahsanul Karim

Bangladesh

Mohammed Omour Faruk Bhuiya

Bangladesh

Sanat Kumar Bhowmik

Bangladesh

Shahnaz Sumi

Bangladesh

Abdul Awal

Bangladesh

Abul Hossain

Bangladesh

Badrul Alam

Bangladesh

Md. Ilias Miah

Bangladesh

Mohammed Omour Faruk Bhuiya

Bangladesh

Geneva Oliverie

Barbados

Femmy Thewissen

Belgium

Lydia Machaka

Belgium

Álvaro Céspedes Quiroz

Bolivia

Tania Sanchez

Bolivia

Tania Sanchez Montaño

Bolivia

Dominic Nyasulu

Botswana

Justice Zvaita

Botswana

Prof Olga Laiza Kupika

Botswana

Lays Ushirobira

Brazil

Beth Lorimer

Canada

Pratishtha Singh

Canada

Sue Wilson

Canada

Alifa Abouna Mahamat

Chad

Jennifer Rojas

Costa Rica

Alassane Traoré

Côte d’Ivoire

Issouf A. Rayan Doumbia

Côte d’Ivoire

Kamamoko Fadiga

Côte d’Ivoire

Oumar Ouema

Côte d’Ivoire

Claudio Cattaneo

Czech Republic

Alexandre Kyungu Musheto

Democratic Republic of Congo

Miriam Lang

Ecuador

Mathieu Paris

France

Yveline Nicolas

France

Andreas Wilking

Germany

Eva-Maria Hartmann

Germany

Herma Geissr

Germany

Klaus Urgast

Germany

Maja Kohler

Germany

Verena Kröss

Germany

Werner Steppuhn

Germany

Wilhelm Teuerle

Germany

Wolfgang Lippel

Germany

Bodo Ellmers

Germany

Bernard Anaba

Ghana

Kenneth Nana Amoateng

Ghana

Dereje Alemayehu

Global

Giorgos Velegrakis

Greece

Anuradha Chenoy

India

Mange Ram Adhana

India

Tom Thomas

India

Ashish Kothari

India

Ashok Shrimali

India

Mange Ram Adhana

India

Muhammad Reza Sahib

Indonesia

Intisar Yousif

Iraq

Thomas Mc Donagh

Ireland

Edda Giuberti

Italy

Stephanie Brancaforte

Italy

Liko Collins

Kenya

Maurice Ouma Odhiambo

Kenya

Sandra Misiribi

Kenya

Nouhad Awwad

Lebanon

Chan Alan

Malaysia

Bhumika Muchhala

Malaysia

Bréhima Traore

Mali

Bertha Olivas Hernández

Mexico

Daniel Aguilar

Mexico

David Barkin

Mexico

Ernesto Jiménez Olin

Mexico

Gustavo De La Rosa Hickerson

Mexico

I Yazmina Araiza D

Mexico

María Del Carmen Núñez Mtz.

Mexico

Noel Antonio García Rodríguez

Mexico

Pedro Vázquez Olivares

Mexico

Rosa Isela Quintana Palomino

Mexico

Rosaura Venegas Reyes

Mexico

Debbie Stothard

Myanmar

Pemba Lama

Nepal

Pravesh Kumar Acharya

Nepal

Rajendra Bahadur Adhikari

Nepal

Sadiksha Chauhan

Nepal

Suman Pd Parajuli

Nepal

Abhishek Shestha

Nepal

Bidur Subedi

Nepal

Dr Keshab Khadka

Nepal

Praman Adhikari

Nepal

Safal Ambuhang Subba

Nepal

Fatchima Djibrilla

Niger

Omoyemen Lucia Odigie-Emmanuel

Nigeria

Julie Rødje

Norway

Marikka Elsbak

Norway

Asim Nawaz Khan

Pakistan

Saeed Baloch

Pakistan

Fatima Majeed

Pakistan

Eddy Cabrera Arias

Panama

Heine Aven

Panama

Jose Eugenio Soute

Panama

Renate Sponer

Panama

Aaron Pedrosa

Philippines

Alvin Jimenez

Philippines

Ananeza Aban

Philippines

Aurea G. Miclat-Teves

Philippines

Beverly Fragata-Besmanos

Philippines

Domingo P. Mole

Philippines

Elvira C. Quintela

Philippines

Emmanuel C. Amistad

Philippines

Ernesto Juan H. Royandoyan

Philippines

John Edison Ubaldo

Philippines

Maria Maranan

Philippines

Merlie Sienes Bautista

Philippines

Rovik Obanil

Philippines

Bronwen Tucker

Regional/Global

Carola Mejia

Regional/Global

Iolanda Fresnillo

Regional/Global

Katherine Robinson

Regional/Global

Martha Flores

Regional/Global

Maxime Perriot

Regional/Global

Pooja

Regional/Global

Samantha Hargreaves

Regional/Global

Shereen Talaat

Regional/Global

Tanya L. Roberts Davis

Regional/Global

Winifred Doherty

Regional/Global

Rosa Balliro

Scotland

Aissatou Keita

Senegal

Sadou Ba

Senegal

Edmond B.Margai

Sierra Leone

Nika Tavčar

Slovenia

Kamal Ramburuth

South Africa

Yegeshni Moodley

South Africa

Nicola Scherer

Spain

Red Latina Sin Fronteras

Spain

Wanun Permpibul

Thailand

Charlotte Kalanbani

Togo

Mlagani Kodjo Moïse

Togo

Monsin Gilles Florent Etonam

Togo

Sena Alouka

Togo

Amine El Kamel

Tunisia

Angella Kasule Nabwowe

Uganda

Kaganga John

Uganda

Kayanga Peter

Uganda

Dorothy Guerrero

United Kingdom

Eva Watkinson

United Kingdom

Greenfield Clark

United Kingdom

Andy Rurherford

United Kingdom

Nancy Treviño

United States of America

Valentina Dallona

United States of America

Zachary Kaplan

United States of America

Elizabeth Claudia Corte

Uruguay

María Esther Burgos

Venezuela

Pedro Vargas

Venezuela

Alex Mutale

Zambia

Casandra Ndlovu

Zimbabwe

Hilary


Outros artigos em português de CADTM International (35)

Outros artigos em português de Collectif (14)

0 | 10

CADTM

COMITE PARA A ABOLIÇAO DAS DIVIDAS ILEGITIMAS

8 rue Jonfosse
4000 - Liège- Belgique

00324 60 97 96 80
info@cadtm.org

cadtm.org